Treinamentos Empresariais
para desenvolvimento de pessoas
CONTATO
21 3509.1280
Categories Menu

Confiabilidade humana: classificação das falhas humanas

O estudo da Confiabilidade Humana é uma consequência da mensuração da Confiabilidade dos equipamentos. Nesse contexto admite-se que o homem falha, e que estas falhas podem ser classificadas e quantificadas.

Confiabilidade Humana é definida como a probabilidade de que não haja falha na execução de uma tarefa requerida em um determinado período de tempo, sob condições apropriadas e com recursos disponíveis.

O fundamento da confiabilidade humana é que não existe pessoa que não falha, muito ou pouco, no cumprimento de uma tarefa.

O esperado, em relação às pessoas, é que em contraposição aos equipamentos que se deterioram com o passar do tempo, a aptidão, o treinamento, a experiência e a idoneidade das pessoas façam com que as falhas humanas diminuam ao longo do tempo.

A frase “Errar é humano, repetir o mesmo erro é burrice” é uma premissa de que:

  • As falhas podem ser previstas e quantificadas.
  • A exata qualificação para o exercício das funções é o quesito fundamental para o bom desempenho operacional na organização.

CLASSIFICAÇÃO DAS FALHAS HUMANAS

As Falhas humanas podem ser classificadas em Erros e Transgressões, que ocorrem durante a execução das ações.

Os Erros podem ser classificados em Deslizes e Enganos e as Transgressões em Intencionais e Não intencionais.

A estratificação dos erros e transgressões ajuda a facilitar a organização das ocorrências dos eventos em um banco de dados.

1. Classificação dos Erros

São subdivididos em Deslizes e Enganos. Constituem a maior parte das falhas humanas, pois dependem fundamentalmente da capacidade para executar a tarefa, do estresse, das condições ambientais e sociais, da motivação na execução da ação, e outros fatores.

DESLIZES

Ocorrem de forma aleatória, a capacidade requerida para a execução da ação não é um fator para a não ocorrência de tal fato. A totalidade da capacidade de execução dificilmente é atingida, ou pela natural complexidade das tarefas, ou pela natural dificuldade humana de manter a concentração por um longo período de tempo.

As causas de não se atingir o máximo de capacidade podem ser dadas por:

  • Estresse: deve ser diferenciado do cansaço, por meio de ações prolongadas, em ambientes inadequados ou jornadas prolongadas. O envelhecimento do corpo e mente é outro fator para a indução dos Deslizes.
  • Inaptidão: física ou mental, causa da maioria das falhas humanas para tarefas não apropriadas com as capacidades inatas da pessoa, independentemente de sucessivos treinamentos.

ENGANOS

Correspondem a falhas humanas na execução específica de determinadas ações que possuem padrões e/ou Normas estabelecidas.

As principais causas dos Enganos correspondem às condições:

  • Inaptidão: física ou mental, causa da maioria das falhas humanas para tarefas não apropriadas com as capacidades inatas da pessoa, independentemente de sucessivos treinamentos.
  • Ausência de treinamento: aprendizagem insuficiente ou não apropriada.
  • Falha no Diagnóstico: consequência da Ausência de treinamento ou devido a aspectos Cognitivos.

2. Classificação das Transgressões

São correspondentes a falhas comportamentais, classificadas em Intencionais e Não intencionais.

Devem ser separadas dos Erros para as análises quantitativas, pois são fundamentadas em fatores difíceis de serem identificados, problemas realmente humanos, não havendo relação entre a capacidade física e mental para a execução da tarefa.

As Transgressões existem em seres vivos, por exemplo, animais que não seguem regras por acreditarem na impunidade da ação ou por desconhecerem as consequências de seus atos.

TRANSGRESSÕES INTENCIONAIS

Ocorrem devido a certeza da impunidade ou uma leve sansão da ação praticada. O transgressor tem plena consciência da ação, e são advindas aos seguintes fatores:

  • Falta de responsabilidade, a pessoa acredita que a consequência do ato será transferida a outra pessoa ou organização (sindicato, partido político, etc.).
  • Esperteza e Ambição, por julgar que a ação passará despercebida e obterá ganho pessoal, correspondendo geralmente a “Lei de Gerson”.

TRANSGRESSÕES NÃO-INTENCIONAIS

As principais ocorrências são devidas à falta de conhecimento das regras inerentes à tarefa ou ao comportamento esperado no decorrer das ações, geradas por:

  • Motivos culturais e sociais, em ambientes diferentes de sua vivência anterior. Por exemplo, jogar lixo no chão do ambiente de trabalho, quando anteriormente viveu em locais sujos e degradados.
  • Julgamento equivocado as consequências de suas ações, a pessoa não possui discernimento do que é correto e adequado.

 

 

Instrutor Christiano Santos Andrade

Consultor associado da LCM Treinamento Empresarial Ltda